quarta-feira, 21 de julho de 2010

A Origem - Inception


Cinecartaz

Antestréia,21Julho2010,quarta-feira,arrabida shopping

terça-feira, 13 de julho de 2010

O Escritor-Fantasma - The Ghost Writer


Cinecartaz

Antestreia,quarta-feira,14Junho,2010Norteshopping,21H30

Festival Internacional de Música de Espinho

Fretwork -Ensemble de violas
''Orlando Gough: the world encompassed''


O ensemble Fretwork, formado há mais de 20 anos, tendo vindo a explorar a Viola da Gamba e variados instrumentos dela sucedâneos

terça-feira, 22 de junho de 2010

Sem Nome - Sin Nombre


Sayra (Paulina Gaitan) é uma rapariga das Honduras que, na companhia do pai e do tio, faz o percurso de emigração até ao México e daí para os Estados Unidos, onde o seu pai tem já uma nova família. Willy 'El Casper' (Edgar Flores) é um rapaz a viver em Tapachula, México, que enfrenta um futuro incerto inserido num gang perigoso e implacável. Quando, pelo caminho, os seus destinos se cruzam nasce, entre os dois, um sentimento de mútua solidariedade e ambos vão perceber que, arriscando tudo, poderão ter esperança numa nova vida e alcançar o sonho americano.
Antestreia,quarta-feira,arrabidashopping,21H30

Cinecartaz

Atraídos pelo Crime - Brooklyn's Finest


Cinecartaz

terça-feira, 15 de junho de 2010

Camilo Castelo Branco

Na Bruxa de Monte Córdova, lê-se:

''Deixe-se disso mulher!não há
Inferno nenhum.O Inferno é cá neste
mundo.Quem não tem que comer
nem beber,nem umas palhas em que
se deite,isso é que é o Inferno.''

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Plano B...ebé - Back up plan



Cinecartaz
Após vários anos com sucessivos encontros, Zoe (Jennifer Lopez) decidiu que a espera pelo Sr. Perfeito já tinha durado tempo demais. Determinada a ser mãe, Zoe marca uma consulta no médico e decide avançar com o processo sozinha. Só que nesse preciso dia, Zoe conhece Stan (Alex O’Loughlin) – um homem que pode ser o que ela procurava...
Antestreia,terça-feira,15Junho2010,Norteshopping,21H30

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo - Prince of Persia: The Sands of Time

Império Persa, século VI. O destino de Dastan (William Foster em criança / Jake Gyllenhaal em adulto) era tornar-se príncipe, mesmo que as suas origens não o pudessem prever. Sem família, sozinho e abandonado à sua sorte, vagueia pelas ruas sobrevivendo graças apenas à generosidade alheia. Para aquela criança, cada dia é uma aventura e sobreviver um enorme desafio. Quando um capitão do Exército o castiga severamente por defender um amigo que rouba uma maçã, Dastan é poupado e adoptado pelo rei Sharaman (Ronald Pickup), acabando por crescer de acordo com os nobres ensinamentos do seu pai adoptivo e do seu tio Nizam (Ben Kingsley), um homem cuja vida é exemplo de sabedoria e bondade.
Já adulto, Dastan, querendo provar o seu valor e demonstrar gratidão para com o rei que o tratou como filho, segue para Alamut, uma cidade aliada aos seus mais antigos inimigos. Mas, Alamut encerra um antigo segredo: as lendárias areias do tempo. Quando o rei Sharaman é cruelmente assassinado e Dastan acusado do crime, ele encontra na princesa Tamina a única aliada para limpar o seu nome. Tamina ensinará o seu novo amigo a sobreviver a todos os perigos do deserto e os dois irão encontrar o segredo encerrado nas areias que, segundo a lenda, consegue reverter o tempo e dar, a quem o controlar, o poder de subjugar o passado e o presente.
Realizado por Mike Newell, é baseado nos jogos de vídeo "O Príncipe da Pérsia" criados em 1989 por Jordan Mechner, que no filme faz parte da equipa de argumentistas e produtores.
Cinecartaz

Cocteau

Um jovem jardineiro pediu ao seu príncipe:
“Salva-me! Esta manhã, encontrei a Morte no jardim, e ela fez-me um gesto ameaçador. Quem me dera estar esta noite, por milagre, muito longe daqui, em Ispahan.”
O Príncipe emprestou-lhe o mais veloz dos seus cavalos.
Nessa tarde, ao passear pelo jardim, o príncipe deparou-se com a Morte.
“Porque foi”, perguntou-lhe, “que esta manhã fizeste um gesto ameaçador ao meu jardineiro”. Respondeu a Morte: “Foi um gesto de surpresa. Espantou-me vê-lo longe de Ispahan, sabendo como sei que logo à noite terei de tomá-lo em Ispahan.”

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Sexo e a Cidade 2 - Sex and the City 2


Antestreia,Quarta-feira, 02Junho2010,21H30,ParqueNascente
Quatro anos depois do fim da série e dois anos após o primeiro filme, Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker), colunista, autora de sucesso e ícone mundial da moda, está de volta com as suas três grandes amigas.
Agora, casada com Mr. Big, Carrie tenta reavivar a paixão lutando para que o casamento não caia na rotina. Enquanto isso, Charlotte (Kristin Davis) e Miranda (Cynthia Nixon) vivem as suas lutas diárias enquanto mães e Samantha (Kim Cattrall) esforça-se arduamente por não sucumbir à menopausa e à consequente diminuição de desejo.
Para fugir um pouco aos problemas do quotidiano, as quatro decidem fazer uma viagem de sonho até Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Aí elas irão fazer uma pausa das suas vidas e viver uma aventura das "Mil e Uma Noites", cheia de exotismo... e erotismo

JOHN RABE-O Negociador


Antestreia,Terça-feira, 01Junho2010,21H30,ArrabidaShopping
1937. Há quase 30 anos que John Rabe vive com a esposa, Dora, em Nanking, na China, onde é chefe do ramo local da Siemens. Como tal, é-lhe difícil passar o testemunho ao seu sucessor, Werner Fliess, e regressar a Berlim. Aprendeu a amar a China e sabe que, enquanto ali é um homem de grande influência, no edifício sede da companhia será apenas mais um empregado. Durante o baile de despedida em sua honra, Nanking é bombardeada pelos japoneses, que invadiram a China. Rabe não tem dúvidas em abrir as portas da companhia para que as famílias dos seus empregados ali encontrem abrigo.
Na manhã seguinte, enquanto os estragos estão a ser contabilizados, os ocidentais que ficaram na cidade discutem o que fazer. O diplomata alemão e judeu Dr. Georg Rosen refere que uma zona de segurança para civis foi estabelecida em Xangai. De imediato, a directora do Colégio Feminino, Valérie Duprés, apoia a ideia e sugere John Rabe como responsável, já que enquanto alemão, John Rabe é mais ou menos “aliado” dos japoneses. Mas a sugestão aborrece o Dr. Robert Wilson, um médico do hospital local que detesta Rabe por pensar que ele é um nazi. Este pensara partir no dia seguinte para a Alemanha, mas decide ficar, começando a trabalhar de imediato.
Enquanto o Exército Imperial japonês inicia uma onde de enorme brutalidade contra as populações locais, Rabe e os seus colaboradores têm a coragem e a determinação necessárias para negociar com o invasor uma zona que garanta a segurança dos civis. Mas centenas de milhar de pessoas entram nessa zona e é cada vez mais difícil arranjar mantimentos para todos. Entretanto, os japoneses estão à procura de um argumento para invadir também essa região – uma corrida contra o tempo começa para Rabe…

terça-feira, 18 de maio de 2010

"O Segredo dos Teus Olhos" - El Secreto de Sus Ojos

Antestreia,ArrabidaShopping,Quarta-feira,19Maio 2010,21H30

Benjamín Espósito acaba de se reformar depois de uma vida inteira como empregado de um "Julgado Penal". Tem um sonho largamente adiado: escrever um romance. Para a relatar não pretende inventar nada, antes pelo contrário: contará um história real da qual foi testemunha e protagonista na longínqua Argentina de 1974: a história de um assassinato e da busca do culpado.
Porém nesta Argentina turbulenta, que se embrenha sem remédio numa longa noite de violência e morte, o crime, a injustiça e a vergonha são ventos demasiado poderosos para que os personagens lhes consigam escapar.Espósito não escreve por acaso. Ainda que lhe custe reconhecer, escreve para uma mulher pela qual está secretamente apaixonado desde há tempo demais. Uma mulher com quem partilhou esta história.
Mas as coisas acabam por surgir muito menos simples do que Espósito gostaria de imaginar: o exercício da memória não serve apenas para iluminar o passado, também lança uma luz sobre Espósito e o seu acto de memória: as suas acções, as suas decisões e os seus erros irreparáveis.
As recordações não são uma superfície clara sobra a qual jaz a verdade à espera que Espósito a recolha. São caminhos obscuros e sinuosos, e a verdade que se esconde detrás deles são muitíssimo menos simples do que podíamos imaginar.No entanto sabe que terá de persistir até ao final para entender o que aconteceu, para se compreender a si mesmo e enfrentar de uma vez por todas a mulher que ama.
"O Segredo dos Teus Olhos", de Juan José Campanella, premiado com o óscar de melhor filme estrangeiro é filme Antena 1!
Cinecartaz

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Livros e autores que ando a ler V - MaioJunho2010






















1-O jogo do mundo - Rayuela,de Júlio Cortazar ,2008,Págs: 632, Cavalo de Ferro;
2-Firmin,de Sam Savage , 2009,Págs: 160, Editora Planeta;
3-Assim era a Solidão,de Juan José Millás , 2001,Págs: 108,Temas e Debates;
4-O Clube Dumas ,de Arturo Pérez-Reverte , 2000,Págs: 420, Dom Quixote;
5-Sinto Muito,de Nuno Lobo Antunes ,2008,Págs: 248,Verso da Kapa;
6-Bomarzo,de Manuel Mujica Lainez , 2010,Págs: 632, Sextante Editora;
7-O homem em queda,de Don DeLillo ,2010,Págs: 256, Sextante Editora.

Eu Sou o Amor - Io Sono l'Amore

Antestreia,Terça-Feira 18Março2010,21H30,ArrábidaShopping

Emma (Tilda Swinton), é a matriarca da família Recchi, uma abastada família milanesa, há várias gerações ligada à indústria têxtil. Cada um dos membros do clã tem o seu papel definido e nada parece perturbar a paz e a união familiar. Porém, quando o seu marido Edo (Flavio Parenti) lhe apresenta Antonio (Edoardo Gabbriellini), um talentoso "chef" de cozinha, toda a existência de Emma se altera. Entre eles nasce uma paixão sem limites e ela descobre uma oportunidade de descobrir um novo mundo de emancipação emocional e sexual que a irá despertar para uma nova maneira de encarar a vida. Agora, para provarem o seu amor, ambos terão de encontrar, dentro de si, a coragem necessária para enfrentar a sociedade e as velhas tradições.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

'Robin Hood'

Antestreia, Quarta-feira,12Maio 2010,Norteshopping,21H30


Título original: Robin Hood
De: Ridley Scott
Com: Russell Crowe, Cate Blanchett, Max von Sydow, William Hurt
Género: Aventura, Drama
EUA/GB, 2010, Cores, 148 min.
Inglaterra, século XIII. Robin Longstride (Russell Crowe) toda a sua vida prestou serviço leal ao rei Richard I, de cognome Coração de Leão, mas hoje, após a morte do grande soberano, o país atravessa uma grave crise nas mãos do Príncipe John (Oscar Isaac) transformando Nottingham numa cidade saqueada não apenas pelos governantes mas também pelo próprio xerife local (Matthew Macfadyen). Ao encontrar o amor em Lady Marion (Cate Blanchett), na esperança de merecer a sua mão e salvar a população de toda a iniquidade, ele vai criar um grupo de mercenários justiceiros, cujas capacidades guerreiras só se poderão comparar à sua alegria de viver. Assim nascerá a lenda de Robin Hood, o grande herói fora-da-lei que, roubando aos ricos para dar aos pobres, devolveu a glória e a liberdade ao país que o viu nascer.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

A Bíblia: Toda a Palavra de Deus d’ uma assentada


Europarque,SMFeira,Sexta-feira,07Maio,2010,21H30
COMÉDIA 135 MIN. [C/ INTERVALO] M/12
The Bible: The Complete Word of God (abridged) de Adam Long, Reed Martin e Austin TichenorEncenação: Juvenal Garcês Interpretação: Pedro Luzindro, Pedro Saavedra, Ricardo CruzEncenação: Juvenal GarcêsTradução: Célia MendesAdaptação: Célia MendesCenografia: Ana BrumExecução da estrutura "árvore da vida": António CunhaFigurinos: Ana BrumDesenho de Luz: Vasco LetriaDesenho de Som: Sérgio SilvaAdereços: Ana Brum, Patrícia RaposoAssistência de Cenografia: Patrícia RaposoAssistência de Figurinos: Patrícia RaposoContra-Regra: João Marta, Patrícia RaposoProdução: Companhia Teatral do Chiado
A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (d´uma assentada) de Adam Long, Reed Martin e Austin Tichenor, é um espectáculo que irá certamente pôr todos os portugueses a rir a bandeiras despregadas, e que resulta duma leitura muito particular (mesmo!) e divertida dos principais episódios narrados nos Livros Bíblicos, do Génesis ao Apocalipse. Esta nova encenação de Juvenal Garcês, com as representações duma velocidade de cortar a respiração de Pedro Luzindro, Pedro Saavedra e Ricardo Cruz, desmistifica sem desrespeitar e parodia sem satirizar algumas das principais questões suscitadas pelos textos sagrados e pelo cristianismo, pedindo apenas ao público uma "suspensão da seriedade e uma entrega sem pudor ao discurso humorístico da obra, à genialidade da encenação e à qualidade irrepreensível das interpretações".Uma comédia de bradar aos céus!!!

A Companhia Teatral do Chiado apresenta a sua mais recente produção – A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (sintetizada) –, uma comédia hilariante que, como o próprio nome deixa adivinhar, nos presenteia com uma transposição para o palco dos episódios mais significativos dos textos bíblicos. Do Génesis ao Apocalipse, os actores Pedro Luzindro, Pedro Saavedra e Ricardo Cruz dão vida às personagens mais famosas da Bíblia, de Moisés à Virgem Maria, de David a Isaac, dos Reis Magos a Salomé.
esta nova encenação de Juvenal Garcês pretende pôr o público português a rir mas também a pensar sobre algumas das questões mais pertinentes acerca da Bíblia, de Deus e do culto dos livros sagrados: o Dilúvio aconteceu mesmo? Deus é homem ou mulher? Porque é que o Deus do Antigo Testamento parece ser um Deus vingativo e o Deus do Novo Testamento é um Deus misericordioso? Porque é que, na Última Ceia, Jesus e os apóstolos estão todos sentados do mesmo lado da mesa? Sem nunca cair na satirização ou no desrespeito pelo religioso, A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (sintetizada) convida o espectador a encarar os textos bíblicos e as questões que estes encerram com uma gargalhada e uma boa dose de sentido de humor.Extremamente bem escrita por Adam Long, Reed Martin e Austin Tichenor, esta obra é ideal tanto para o espectador que não conhece ou que pouco sabe sobre a Bíblia como para o que já leu todos ou a maioria dos livros nela contidos. O primeiro sairá mais conhecedor dos episódios bíblicos, mas ambos terão aprendido – espera-se – a fazer acompanhar a leitura dos textos bíblicos de um sorriso de orelha a orelha. Para assistir a este espectáculo é, de facto, necessário proceder à suspensão da seriedade, da sisudez moral e das leituras dogmáticas da Bíblia e permitir uma aproximação mais leve mas nem por isso mais leviana dos textos sagrados.A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (sintetizada) é, sem dúvida, um espectáculo irreverente, quanto mais não seja por, contrariamente ao disposto por Aristóteles na sua Poética, aplicar a máscara da comédia – feita à medida dos homens inferiores – à face e às narrativas das personagens bíblicas, feitas muito mais à medida da tragédia, considerada uma arte superior. É, pois, a arte da comédia, dominada com perícia em A Bíblia (sintetizada), que permite uma democratização do palco, colocando ao nível do comum e usual o que normalmente se encontra associado ao mitológico e sagrado. É esta aplicação do género dramatúrgico da comédia aos textos da Bíblia que, na sua irreverência de aparente desadequação, acabam por tornar o riso impossível de conter, restituindo à comédia o seu justo título de arte superior.Há, de facto, por parte do encenador e das interpretações do extraordinário trio de actores, um convite à desconstrução do discurso sobre o sagrado, através de uma paródia que deixa sobre a mesa problemas relacionados com a construção, interpretação e articulação dos vários livros que compõem a Bíblia. O público é convidado a deixar aberto o terreno à dúvida e ao questionamento, sem nunca ser forçado a dar soluções de que não dispõe e sem nunca ser confrontado com respostas às quais pode eventualmente não aderir. Não se trata, portanto, de um espectáculo de ataque à Igreja ou de desmistificação do sagrado, mas antes de um convite a uma abordagem risonha dos textos da Bíblia.A Bíblia: Toda a Palavra de Deus (sintetizada) é, pois, uma grande comédia, no melhor sentido do termo: ainda que se encontre permeada de comicidade, não convida à piada brejeira nem ao riso fácil. O intuito de Juvenal Garcês e da Companhia Teatral do Chiado não é nem nunca será o de fazer rir por rir, como exercício físico de ginástica muscular, mas sim o de provocar o riso pensante, o riso como exercício de ginástica intelectual.Como lembra o crítico de arte Rubens Ewald Filho, “Morrer é fácil, difícil é fazer comédia”. Difícil será, sem dúvida, mas a comédia é já uma linguagem familiar e destramente dominada por esta fabulosa companhia de teatro que não descansará enquanto não puser a rir todo o país.

domingo, 2 de maio de 2010

“HUMPDAY – DEU PARA O TORTO''

Antestreia,05 de Maio,Quarta-feira,21H30,ArrábidaShopping

Cinecartaz
Andrew (Joshua Leonard) e Ben (Mark Duplass) são dois velhos amigos de faculdade que seguiram caminhos opostos: Ben assentou, tem um casamento estável e uma vida pacata, enquanto Andrew continua descomprometido e "bon vivant".Quando, depois de vários anos, se dá o reencontro, ambos se esforçam por retomar os laços do passado e, a meio de uma noite de copos numa festa privada, resolvem arriscar algo impensável: um filme erótico com eles como únicos intervenientes. Assim, com uma câmara amadora, resolvem participar no Festival Amador de Cinema Porno fazendo um filme que não é pornografia (mas arte), nem homossexual (mas apenas sexo). E, no dia seguinte, sentem que nada os poderá deter. Excepto, talvez, Anna (Alycia Delmore), a mulher de Ben, alguns problemas de identificação sexual e umas pequenas dificuldades técnicas...

terça-feira, 27 de abril de 2010

4º Jazz'n Gaia 2010


Sábado dia 1 de Maio,2010
Depois, as atenções viram-se para o mestre belga da harmónica: Toots Thielemans. Aos 88 anos (cumpridos dois dias antes deste concerto), Thielemans é um virtuoso, uma referência absoluta e uma prova de que é possível aliar a técnica à capacidade de comover um auditório. "Posso dizer sem hesitações que Toots é um dos grandes músicos do nosso tempo. Com os seus instrumentos ele mostra-nos o melhor que se produz no jazz. Ele vai direito ao nosso coração e faz-nos chorar." Estas palavras foram ditas por Quincy Jones, um dos muitos músicos com que Thielemans trabalhou. Mas há muitos mais na história do músico: Charlie Parker, Ella Fitzgerald, Benny Goodman, Dizzy Gillespie, Oscar Peterson, Bill Evans, Natalie Cole, Pat Metheny, Paul Simon, Elis Regina, Chico Buarque, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Djavan...

segunda-feira, 26 de abril de 2010

The Answer Man - Eu e Deus


Cinecartaz
Antestreia,Terça-feira dia 27Abril,2010,21H30,ArrábidaShopping

quinta-feira, 22 de abril de 2010

"OLÁ E ADEUSINHO"



NO CINE-TEATRO DE ESTARREJA, DIA 24 DE ABRIL ÀS 22H


Beatriz Batarda encena o texto Olá e Adeusinho, de Athol Fugard, o autor sul-africano mais reconhecido em todo o mundo. Nasceu em 1932 e com The Blood Knot de 1961, que escreveu e dirigiu com um elenco de brancos e negros, cria uma nova fricção na história do Apartheid. A sua persistência e tenacidade haveriam de o tornar um símbolo da resistência artística em todo o mundo.
A peça fala-nos de dois irmãos que adiaram a responsabilidade de serem adultos, ao ponto de perderem a razão da sua existência. Agora, confrontados com a morte do pai, descobrem que não sabem viver com o outro, com o mundo, nem conseguem construir um futuro.
Ouvimos ao longo de cerca de duas horas as histórias de um passado familiar sofrido, a história de um país sofrido pela guerra, pela desigualdade e pela miséria, a história da religião nas culturas de origem ocidental, a história de tantos irmãos que questionam a sua identidade quando se tornam órfãos.
As suas personagens são construídas através de um jogo entre o discurso consciente e o discurso inconsciente, como se se tratasse de um puzzle psicológico e emocional complexo, que se revela perante as situações dramáticas. Quase tudo o que acontece, acontece através do discurso e do pensamento. Talvez seja esta a razão que torna as suas personagens tridimensionais e actuais.
Este é um espectáculo duro e frontal, mas também redentor e comovente.
Autoria: Athol FugardTradução: Jaime Salazar SampaioEncenação: Beatriz BatardaCenário e Figurinos: Cristina ReisDesign de Luz: José Nuno LimaSonoplastia: Sérgio MilhanoOralidade: Teresa LimaInterpretação: Catarina Lacerda e Dinarte BrancoCo-Produção: Teatro da Cornucópia e CulturprojectApoios: MC/DGArtes, Fundação Calouste Gulbenkian

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Kick-Ass - O Novo Super-herói


Cinecartaz
Dave Lizewski (Aaron Johnson) é um jovem fanático por heróis de BD com uma vida muito aborrecida. Um dia decide fazer algo contra a monotonia e tornar-se, ele próprio, um super-herói. Para isso resolve encomendar uma farda apropriada e atirar-se, de corpo e alma, à tarefa de salvar vidas em perigo. De um momento para o outro, de um adolescente que nunca deu nas vistas passa a celebridade e, do meio do nada, surge por toda a cidade uma espécie de epidemia de super-heróis. Mas nem tudo poderia ser perfeito e, se todas as histórias de super-heróis têm um génio do mal, esta não poderia ser excepção: Frank D'Amico (Mark Strong), um perigoso barão da droga. E é quando Dave conhece Big Daddy (Nicolas Cage) e a sua jovem e destemida filha Hit-Girl (Chloe Moretz) que a aventura verdadeiramente se inicia e eles percebem que somente juntos conseguirão derrotar o grande vilão e a sua trupe de bandidos. Um filme de Matthew Vaughn baseado na conhecida BD de Mark Millar e JRJR (John Romita, Jr.).
Antestreia,quarte-feira,21Abril2010,21H30,ArrábidaShopping

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sonic Youth

Sexta-Feira,23Abril,2010,Coliseu do Porto 21H00

SiteOficial


Data de Formação:1981
Local de Nascimento:Nova Iorque
País de Origem:EUA

A formação dos Sonic Youth remonta ao ano de 1981, quando Lee Ranaldo, Thurston Moore e Kim Gordon se juntaram em Nova Iorque. Moore aliou-se a Ranaldo em Manhattan, enquanto Gordon, a namorada de Moore, decidiu integrar o agrupamento mais tarde, depois de deixar um colectivo catalogado junto da No Wave, um estilo descoberto e criado por entre as cinzas da era pós-punk. Ainda em 1981, o agrupamento fez a sua primeira apresentação ao vivo, no decorrer do Noise Festival, organizado com o precioso auxílio de Moore e de Gordon. A entrada do baterista Richard Edson, pouco tempo depois, assegurou o formato necessário à gravação do primeiro EP, em 1982. Contudo, poucos meses passados, Edson decidiu abandonar os Youth, tendo sido então substituído por Bob Bert. Durante esse ano apareceu no mercado o primeiro álbum dos Sonic, "Confusion Is Sex", que trouxe novas luzes e esclarecimentos sobre as intenções estéticas e criativas de uma banda que assegurava a diferença através de uma dissonância sónica provocatória e radical, mas mesmo assim feita à luz das mais puras inspirações do rock. O álbum mereceu até a promoção feita em terras do velho continente, que continuou a auxiliar o decorrer do percurso dos Sonic com a edição do EP "Kill Yr Idols" através do catálogo alemão Zensor. O retorno ao estúdio só se proporcionou em 1985, e meses passados apareceu no mercado "Bad Moon Rising", o primeiro registo lançado com a Blast First. O disco mereceu uma atenção redobrada por parte da imprensa da especialidade e igualmente do meio mais underground nova-iorquino, e o trabalho da banda liderada por Moore e Ranaldo estava assim definitivamente lançado. O disco revelou o grupo americano em espaços além do idolatrado feedback anárquico, com adornos claros de pretensos ritmos pop. "Death Valley 69", um novo EP editado ainda em 85, antecedeu nova mudança na formação, depois da saída de Bob Bert, substituído por Steve Shelley. Em 1986 a banda nova-iorquina lança nova obra, agora, e uma vez mai,s com diferentes contornos. "Evol" explanou a debandada dos terrenos frágeis das composições mescladas de experimentações, e parece ter materializado em definitivo a entrega dos Youth aos paralelos estruturais do rock. "Sister" de 1987 confirmou o discurso feito com o registo anterior, um ano antes daquele que é unanimemente considerado como o álbum maior dos Sonic Youth. "Daydream Nation", editado em 1988, trouxe consigo os primeiros hinos a la Youth, em temas como "Teen Age Riot", "Silver Rocket" ou "Eric's Trip". Contudo, o percurso do grupo conheceu ainda alguns sobressaltos, e em 1990 concretiza-se a decisão de mudar de editora, então para a DGC, deixando para trás a falência da anterior, a SST. Ao lado da editora de David Geffen, os Sonic Youth tomaram em si a missão de desbravar os territórios alternativos e independentes da música feita na América, acabando por levar a que muitas bandas desconhecidas e independentes assinassem por uma editora major. "Goo", o sexto álbum de originais dos Youth lançado em 1990, mostrou novas incursões num território disfarçadamente mainstream e preparou as hostes para a celebração de "Dirty", de 1992. O álbum, que teve a produção a cargo de Butch Vig, conseguiu resultados verdadeiramente surpreendentes em termos de vendas, dada a ligação temporal e de conteúdo ao auge do movimento grunge vivido na altura nos Estados Unidos. "100%", "Sugar Kane", "Youth Against Fascism" ou "Drunken Butterfly" foram apenas quatro dos temas de um disco facilmente considerado conquistador. Dois anos depois do sucesso comercial apareceu "Experimental Jet Trash & No Star", um disco que contou uma vez mais com a produção de Vig e que logrou até chegar até ao top10 britânico. Um ano depois, Moore e Gordon oficializaram a sua ligação com o casamento, meses antes do nascimento de Coco Haley, a primeira filha do casal. Em 1995, e passado um período de alguma acalmia, os Youth lançaram "Washing Machine", um disco que mereceu renovadas considerações extremosas por parte da crítica, mas que não repetiu o êxito de vendas dos anteriores. Seguiu-se um novo período de experimentações e retiros, e só em 1998 é que a banda decidiu editar um novo longa duração. "A Thousand Leaves" antecedeu a edição em 2000 do álbum "NYC Ghosts and Flowers".
A banda preservou a sua identidade transgressora com os álbuns seguintes: "Murray Street" (de 2002), "Sonic Nurse" (de 2004), "Rather Ripped" (de 2006) e "The Eternal" (de 2009).

sábado, 17 de abril de 2010

2 p'ra Jazz


2 p'ra Jazz e Onda Poética

O ritmo, a cor o timbre, a forma... Tudo está presente em todas as formas de Arte. O duo "2p’rajazz" e a "Onda Poética" juntam-se neste espectáculo para, através da Música e da Poesia, poderem partilhar com o Público as suas leituras artísticas e estéticas. Cada letra tem um som, cada som um significado... Onde começa um e acaba o outro?
16 ABR 2010, 21:30, Centro Multimeios de Espinho

terça-feira, 13 de abril de 2010

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Confronto de Titãs - Clash of the Titans


Perseus (Sam Worthington), apesar de ter sido criado por humanos é, na verdade, um semideus, fruto do amor entre a mortal Danae (Tine Stapelfeldt) e Zeus (Liam Neeson), o rei dos deuses do Olimpo. Quando Hades (Ralph Fiennes), deus do submundo e irmão de Zeus, decide matar a família adoptiva de Perseus, este, em busca de justiça, jura vingar-se eliminando Hades e todos os que atravessarem o seu caminho. Mas o destino de Perseu é muito mais grandioso do que uma simples vingança e, liderando um grupo de soldados, terá que unir esforços com o seu pai e derrotar Hades e Kraken, o seu colossal monstro marinho, antes que a fúria destruidora dos deuses atinja todo o género humano...Louis Leterrier assina o "remake" do filme "Clash of the Titans" (1981), de Desmond Davis, numa nova adaptação cinematográfica de um dos mais famosos mitos gregos.
Antestreia, Quarta-feira,13 de Abril, 2010,21H30,MarShopping
Cinecartaz

Livros e autores que ando a ler V - Abril 2010











3-Bartleby & Companhia,de Enrique Vila-Matas, 2001,Páginas: 208, Assírio & Alvim

4-Longe de Veracruz,de Enrique Vila-Matas, 1995, Páginas: 272,
Assírio & Alvim

Programa do LeV – Literatura em Viagem



17 de Abril, Sábado
15h00 (Salão Nobre dos Paços do Concelho, Matosinhos)- Conferência de abertura.- Lançamento da revista Itinerâncias, número 3.
16h00 (Galeria Municipal)- Inauguração da exposição de fotografia A última fronteira, de Gonçalo Rosa da Silva.
16h30 (Galeria Municipal)- 1.ª Mesa: «Literatura e Guerra». Com Robert Fisk (Inglaterra), Mimmo Cándito (Itália), Carlos Vale Ferraz, Hubert Haddad (Tunísia) e Cândida Pinto. Moderação: José Mário Silva.
18h30 (Galeria Municipal)
- 2.ª Mesa: «As Viagens são os Viajantes». Com Giuliano da Empoli (Itália), Nuno Silveira Ramos, João Pedro Marques e Lourenço Mutarelli (Brasil). Moderação: João Rodrigues.
21h30 (Cine-Teatro Constantino Nery)- Relativamente, espectáculo teatral com encenação e tradução de João Lagarto e produção de Alice Prata.
18 de Abril, Domingo
15h00 (Galeria Municipal)- 3.ª Mesa: «Percebo-me viajando». Com Alexandre Alves Costa, José Medeiros Ferreira, Patrícia Portela e Guillermo Martinez (Argentina). Moderação: Manuel Alberto Valente.
17h30 (Galeria Municipal)- 4.ª Mesa: «O Sonho de África». Com Tim Butchert (Inglaterra), Mohamed Berrada (Marrocos), Javier Reverte (Espanha) e Jacinto Rego de Almeida. Moderação: Carlos Vaz Marques.
19 de Abril, Segunda-feira
10h30 (Biblioteca Municipal Florbela Espanca)- Workshop de fotografia com Sérgio Jacques.
15h00 (Galeria Municipal)- 5.ª Mesa: «Viajar prolonga a vida». Com Alon Hilu (Israel), José Rentes de Carvalho, Alexandra Lucas Coelho e Mónica Marques. Moderação: Rosa Alice Branco.
17h30 (Galeria Municipal)- 6.ª Mesa: «Palavra a palavra viajamos». Com Filomena Marona Beja, Ignacio Martínez de Pisón (Espanha), José Fanha e Arthur Dapieve (Brasil). Moderação: Marcelo Correia Ribeiro.
20 de Abril, Terça-feira
10h30 (Biblioteca Municipal Florbela Espanca)- Workshop de fotografia com Sérgio Jacques.
15h00 (Galeria Municipal)- 7.ª Mesa: «A alegria do homem está em viajar». Com Joaquim Magalhães de Castro, Cristina Carvalho, Lazaro Covadlo (Argentina) e Maria Isabel Barreno. Moderação: Jacinto Rego de Almeida.
17h30 (Galeria Municipal)- 8.ª Mesa: «Toda a realidade é um desejo de viagem». Com Hélder Macedo, valter hugo mãe, Mempo Giardinelli (Argentina) e Elmér Mendoza (México). Moderação: Francisco José Viegas

segunda-feira, 5 de abril de 2010

"Green zone - Combate pela verdade"


Cinecartaz
Antestreia,quarta-feira,07Abril2010,21H30,Dolce Vita Porto

Antígona


Que espaços levantar para conter as palavras que andam pela cidade? Da camarata auschwitziana construída em madeira de Breve Sumário da História de Deus, ao quase semicírculo revestido a cortiça de Antígona, que ora transporta a memória do anfiteatro grego, ora sugere a cratera de um vulcão em lava, Nuno Carinhas desenhou dois lugares pouco amenos para ressoar o som e a fúria das convulsões do mundo, duas orgânicas máquinas de emaranhar perguntas no espaço público. Porque em Antígona – já era assim no Breve Sumário – interroga-se a origem das coisas, porque aqui começa a história do nosso teatro e a vida política das nossas cidades. Com a insubordinação de Antígona, o homem parte à conquista de uma consciência, questiona as fronteiras entre a integridade individual e o bem comum. As personagens de Sófocles são angustiados pontos de interrogação que caminham. Pergunta Creonte: “Então o Estado não é de quem manda?” Responde Hémon: “Nenhum Estado é de um homem só!” Pergunta Antígona: “Como posso eu ainda olhar para os deuses?” De pergunta em pergunta, de resposta em resposta, o confronto adensa-se e Antígona entrega-se à morte. Vinte e cinco séculos mais tarde, Marguerite Yourcenar dedicou-lhe o mais belo dos epitáfios: “O tempo retoma o seu curso sob o ruído do relógio de Deus. O pêndulo do mundo é o coração de Antígona”.

Domingo,11Abril,2010,16H00, TeatroNacionalSãoJoão
Number of online users in last 3 minutes